quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O Leão, o Circo, a Cadeira e a Sociedade.


Tava no ônibus indo pra aula quando escutei um barulho de vidro quebrado e pessoas correndo, olhei para a parada de ônibus e estava um homem, aparentemente bêbado, jogando garrafas de vidro nas pessoas, e um mototaxista segurando uma cadeira de plástico, tentando afastar o homem gritando palavras de ordem e gesticulando com a mão. Lembrei daquela famosa cena de circo, o domador com uma cadeira e chicote na mão, tentando fazer com que o leão obedecesse as regras ali impostas.

Existe uma certa teoria que afirma que passamos a perceber melhor as coisas quando estas estão ligadas a fatores pessoais, por exemplo, quando compramos um carro verde com bolinhas vermelhas pq ninguém tem um carro assim, passamos a perceber que existe uma epidemia de carros verdes com bolinhas vermelhas pela cidade e você nunca tinha percebido isso. Não sei se a insegurança aumentou, ou se continua a mesma, mas desde quando eu fui assaltada, escuto relatos de assaltos e da população revoltada linchando assaltante diariamente.

Talvez também seja só uma percepção relacionada a fatores pessoais, mas é assustador ver diariamente a população lutando para se defender de pessoas mal intencionadas, vivemos amedrontados como o público do tal circo, que não concorda como aquele leão é tratado, mas não quer virar mais uma vítima dele, ai surge um domador com seu chicote tomando medidas erradas para o leão não atacar ninguém... E no fim, o leão sofre, o domador é errado, e o público sai incomodado... No fim, somos vítimas de uma sociedade mal estruturada que nós mesmos criamos, mas que não sabemos como sair dela... Talvez seja só uma percepção relacionada a fatores pessoais...

Salve-se quem puder, se puder 
Seja lá quem for, homem ou mulher 
O mundão ta louco, se afundando aos poucos 
Futuro obscuro, vivemos no sufoco
(Salve-se quem puder - Dexter)

3 comentários:

  1. Pois é...essa sociedade que vivemos está cada dia mais de pernas para o ar. A impunidade corriqueira nos deixa sem saber como agir nas maiorias das vezes. Gostei do texto e por você ter relacionado a situação com outra... Esse Brasil está um circo mesmo.
    Beijos!
    Paloma Viricio-Jornalismo na Alma.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto. Acho que nenhum que li até agora espelha melhor como nos sentimos perante a sociedade. É a tal selva de pedra.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Tem um quê de verdade nisso, desde que minha pele virou uma garrafa de Lisa e eu comecei a fazer tratamento com a dermatologista eu passei a reparar muito mais no defeito da face dos outros. Não que eu fique comentando, mas eu sempre reparo mais se os poros da pessoa estão abertas, se ela tem rugas, pés de galinha, cravos... e tem detalhes (detalhes mesmo) que eu só comecei a reparar depois que comecei a cuidar da minha.
    E quanto ao assalto, acho que vc ficou mais ligada nisso. Depois que eu fui assaltada eu ficava branca toda vez que alguém que eu não conhecia chegava perto de mim na rua ou no ônibus. Vai saber, né? Ninguém tem escrito na testa: PESSOA DE BEM ou BANDIDO.
    Bjuxxxxx

    ResponderExcluir