segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

2017 - o tal ano incrível. Cheio de rapadura!

Entre todas as promessas feitas para esse ano, não me deixar contaminar pelos pensamentos negativos (próprios e alheios) é uma das mais importantes. Diante de um cenário tão conturbado como o que nos encontramos, permanecer com pensamentos positivos e floridos está cada vez mais difícil. Dois mil e dezessete chegou com a missão de ser um ano incrível, mas o fático dois mil e dezesseis deixou uma bagagem pesada demais para esse novo ciclo carregar.

Sempre acreditei que a virada do ano acontece em momentos distintos para cada um, quando a pessoa se sente preparada para se renovar e deixar algumas coisas naquele velho ano. Nessa virada em particular sinto que abriu uma fenda no tempo-espaço entre esses dois momentos e estamos no meio da ponte, caminhando incansavelmente para que dois mil e dezesseis vá embora, mas ele continua sendo visto no horizonte.

Quero desapegar dos queixumes passados e olhar para frente, pensar adiante, tentar enxergar o tal ano incrível que dois mil e dezessete prometeu, olha ele ali! Terminei de fazer minhas promessas, tracei minhas metas, quantifiquei meus objetivos e continuo caminhando na tentativa de atravessar essa ponte, afinal, o copo está sempre meio cheio e nunca meio vazio.

Entre tantos acontecimentos questionáveis, me peguei admirando um camarada que é figurante no meu dia a dia, mas que faz o perfil de mobilizar, o que levanta causas para minimizar dores alheias. Pronto! Quero me inspirar nesse camarada, que todos os dias anda com um pote (depósito) de rapadura com o aviso "se seu dia está amargo, coma rapadura!". Desculpa amigos, mas nesse momento vou voltar para a minha caminhada, comer as minhas rapaduras e trabalhar os pensamentos floridos. Nos vemos em 2017, o tal ano incrível!

🍀🍀🍀🍀🍀🍀

Nenhum comentário:

Postar um comentário