sábado, 31 de janeiro de 2015

[Série] Orange is The New Black


"Isso aqui não é Oz". Comecei assistir Orange is The New Black após as notícias sobre o casamento da Suzane Richthofen (ela matou os pais junto com os irmãos Cravinhos, um deles era namorado dela, para poder ficar com a herança) com a sequestradora Sandra Regina no presídio de Tremembé. O resumo das histórias são bem parecidas, uma jovem rica que é presa após se envolver com "irregularidades" incentivada pelo namorado(a), na cadeia ela se relaciona com outra detenta. As duas histórias são reais, a série foi inspirada na biografia de Piper Kerman, e a comparação foi inevitável.

Educada e com aparência de boa moça Piper Chapman surpreende a todos quando é sentenciada a 15 meses na prisão por lavagem de dinheiro. Poucos sabiam que seu passado escondia um relacionamento com Alex, uma mulher que traficava drogas. Fora dali, Piper planejava seu casamento e a abertura de uma loja de produtos de higiene artesanal, mas tudo precisou ser adiado.

Na prisão Piper se depara com um novo mundo, onde as leis e regras de bom convívio não são mais válidas, é necessário saber onde pisa e principalmente o que fala, pois as consequências podem ser trágicas. Os primeiros dias na cadeia são enlouquecedores, a rotina do mundo lá fora desaparece e você é obrigada a encarar a si mesma, seus medos, suas crenças, sua lealdade, seu caráter. Tudo é extremo, tudo te leva ao limite, e não tem ninguém em que possa confiar. 

As detentas vão se dividindo por raças, cada uma trabalha em um setor, elas possuem horários para exercícios e cultos religiosos, em tese é tudo muito organizado e cada uma sabe o seu lugar, mas em "caso de emergência" elas são levadas imediatamente para a solitária, ou o manicômio. No decorrer dos episódios vamos descobrindo as histórias das outras presas, suas lembranças vão aparecendo através de flashbacks, é tipo uma colcha de retalhos que vai se moldando para que o plano de fundo da série apareça.




Algumas histórias são bem interessantes como a da Burset, uma transexual que tem problemas de relacionamento com o filho, a Doggett, uma fanática religiosa que se torna a maior inimiga de Piper, Red, uma latina dona de um restaurante que guardava corpos em seu refrigerador, e outras tantas histórias de meninas que se envolveram com drogas e tomaram decisões erradas por causa do vício. O relacionamento delas é tão interessante, que alguns episódios a Pipper não aparece, literalmente.
Do lado de fora, Larry aguarda a noiva sair da prisão para se casarem, mas o relacionamento começa a se desgastar com a falta de convivível entre eles e o fato de Pipper ficar presa com Alex, sua ex-namorada traficante. O caos se torna bem-vindo quando ele começa a ser procurado para contar na mídia como ele se sente diante dessa situação com a noiva, mas o seu sucesso tem consequências em seu relacionamento, principalmente dentro da cadeia.

De fato não é Oz, rola diversas cenas de sexo e violência, mas nada tão pesado quanto Oz. É notável o crescimento de Pipper, ela entra cometendo erros primários, que qualquer pessoa que tenha assistido um filme sobre presídio não cometeria, mas no decorrer dos episódios ela vai criando um escudo de proteção e provando que não é tão inofensiva assim. A série não é tão tensa quanto parece, algumas cenas são bem divertidas e a trilha sonora é TOP, mais do que recomendado!


bonne journée , bonne chance

2 comentários:

  1. Já ouvi falar muito sobre esse seriado, mas ainda não me animei para ver.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Show de bola essa série. Nunca vi, mas depois da sua opinião, acho que vale a pena. Realmente a história da menina e da Suzane são bem parecidas. Fiquei curiosa sobre a trilha sonora. Traz uma postagem especial sobre as músicas da série!
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir