quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Mário Gomes, o Poeta que Deixou Saudade

Mario Gomes no Dragão do Mar - Foto: Erika Fonseca

Eu tinha me programado para postar hoje a lista das melhores leituras do ano, tinha até separado os livros que eu citaria, e colocado um lembrete na minha agenda para resenhar alguns que eu ainda não tinha feito, mas antes de 2014 ir embora ele providenciou que os amantes da bela poesia derramassem mais uma lágrima. 

Seu Mário Gomes era um andarilho que vivia nas ruas de Fortaleza, sempre de paletó e com alguns versos na ponta da língua, andava fazendo bons amigos e eternos admirados. Ganhou prêmios, publicou 8 obras literárias, foi inspiração para outros artistas, mas foi consumido pela esquizofrenia, o fumo e pela sociedade. Ele era a memória de nossa cidade, ha quem diga que quem nunca conheceu seu Mario, nunca conheceu Fortaleza. E agora só resta a saudade, a cidade perdeu um pedaço de seu cartão-postal. 

Foto Erika Fonseca

Sou um cachorro vira-lata
Não tenho residência fixa
Não tenho responsabilidades
Não tenho dono.
Mas, também, não me falta sexo
Porque conheço lindas cadelas
De tipos diversos.

Onde chego procuro alimentos
Fumo na hora em que me é propício
Um cigarrinho com filtro ou sem.

Sou um cachorro fiel e valente
(Só na aparência)
Pois, sou um cachorro vira-lata.


Mario Gomes


Ontem ao meio-dia, no almoço, comi um prato de lagartas, e passei a tarde defecando borboletas - Mário Gomes

2 comentários:

  1. Conhecia um pouco da obra dele e sempre achei bem interessante e característico. É mesmo uma grande perda =/
    Feliz Ano Novo :)
    ;**

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  2. É sempre triste quando alguém assim se vai. É uma enorme perda a um mundo que já tem tão poucos para valorizar. Gostei muito da ultima frase da postagem.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir