segunda-feira, 1 de maio de 2017

[Evento] XII Bienal do Livro do Ceará

Bienal do Livro é aquele momento mágico, onde autores e leitores se unem para contemplar e debater esse universo cheio de possibilidades e surpresas. A XII Bienal do Livro do Ceará aconteceu entre os dias 14 e 23 de abril, trazendo uma extensa programação para agradar de gregos a troianos, do circo a Hogwarts, da robótica ao café com pão de queijo.

Aquela grande faixa escrita "QUALQUER LIVRO POR R$10,00" é o chamariz para qualquer leitor louco por desconto, depois de muito vasculhar e fazer aquele crivo doloroso de quais livros levar, achei bons títulos para chamar de meu. Quem estava atrás de alguns lançamentos, a Livraria Saraiva estava com muitos descontos. A JusLivros estava focada nos autores nacionais, a Editora Universo em seus livros hot e o tradicional encontro de leitores.


No estande do Grupo de Comunicações O Povo estava acontecendo o lançamento das novas edições da Coleção Terra Bárbara, uma série de livros que traz a biografia de grandes nomes do Ceará, como o Fausto Nilo, Mário Gomes, Bárbara de Alencar, entre outros. O Grupo Ascendio levou uma exposição e diversas oficinas sobre o mundo de Harry Potter. Um dos mezaninos foi reservado para receber os artistas circenses e o espaço Boêmia Literária o painel que ficou famoso no Cais Bar, lendário ponto de encontro que foi inaugurado em 1985 e funcionou até 2003.

A programação estava bem diversificada e separada em blocos, os temas iam desde o cordel até a literatura fantástica, oficinas, debates e exposições. Alguns estandes ofereciam uma programação própria, como lançamentos e oficinas de encadernação (tentei fazer, mas ninguém sabia informar o horário). Infelizmente alguns estandes não divulgaram sua programação previamente e as ações acabaram ficando perdidas no meio do evento.


A Paula Pimenta foi a estrela do primeiro dia e André Vianco do dia 19, diversos escritores participaram da Bienal, seja em debates, intervenções ou realizando lançamentos. É muito gratificante ver diversos autores que acompanho desde sempre, ganhando espaço em um evento grandioso como esse, lembro da Paula Pimenta na bienal de 2010 sorridente tentando cativar alguns leitores e hoje ela é esse fenômeno, sempre fico emocionada vendo a quantidade de gente que acompanha o trabalho dela hoje, sucesso mais do que merecido!

Adoro essa troca, me permitir conhecer novas escritas e novos mundos, tirar foto e tietar um pouquinho, alias, senti falta dos grandes nomes, daqueles populares que arrastam multidões, que fazem as filas dar voltinhas de empolgação. Nesse ano também não teve os grandes shows, música não é o foco do evento, mas sempre movimentava e conseguia arrecadar pilhas de livros para doação (você tinha que trocar um livro por um ingresso).

No geral, o saldo foi positivo, consegui comprar alguns livros que estavam na minha imensa listinha de desejados por um precinho feliz, participei de alguns lançamentos como o de Fisheye da Kamile Girão e o A Vidente da Casa de Pedra da Clara Lêda, autora de A Corrente e o Pigente. Finalmente consegui conhecer a Magali Polida, autora de BichoMeMulher, pessoa maravilhosa e divertida que eu sempre admirei através das redes. Reencontrei o fiel parceiro do blog Leonardo Nóbrega, autor de Outros Tempos e Crimes do Tarô

Cada pessoa, um livro;
o mundo, a biblioteca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário