sexta-feira, 1 de abril de 2016

[Cinema] Hotel Transilvânia | Cada um na Sua Casa

Hotel Transilvania
Apaixonada por papelaria como eu sou, após ver os personagens do filme Hotel Transilvânia sendo tema de alguns bloquinhos, me rendi a animação e fui conferir toda a fofura dos monstros. O temido Conde Drácula é dono de um hotel 5 estrelas localizado no meio da floresta, o local foi todo projetado para que nenhum humano chegasse perto, garantindo total sossego aos hospedes e proteção a sua morceguinha, claro! Marvis, filha de Drácula, está completando 118 anos e o mundo dos monstros está em festa. 

O sonho da garota é voar além dos muros do hotel, conhecer os humanos e pessoas de sua idade, mas o temido Drácula vai fazer de tudo para tirar essa ideia maluca da cabeça da garota, até mesmo encenar humanos apavorantes e piores que os próprios monstros. O que Drácula não esperava é que um humano destemido invadisse o hotel de forma despretensiosa colocando todo o seu plano de segurança em cheque.

Jonathan não tem a menor noção do perigo que está correndo, Drácula quer coloca-lo para fora de qualquer forma, mas Marvis quer fazer amizade e saber mais sobre o mundo lá fora. Sem outra opção, Drácula ajuda o garoto a passar desapercebido entre os monstros, o humano se transforma no primo distante de Frankenstein, mas o inesperado acontece, todos os monstros querem fazer amizade e Marvis... bem, seus olhos brilham sempre que pensa no garoto.

Mais uma animação da Disney que agrada gregos e troianos (crianças e adultos), os traços são fofinhos causando empatia em qualquer pessoa, já a história além de cativante é no mínimo tocante, pensar no pai mais temido do mundo se sentindo receoso pela ideia da "morceguinha" sair de casa e enfrentar as mazelas além dos muros. Com certeza entrou na lista de animações que se assiste mil vezes.




A ideia de ter uma comunidade de monstrinhos arredondados e desengonçados lembra bastante os Minions, porém com 4 perninhas e lilás. Uvas no lugar das bananas, por favor! A terra está sendo invadida por criaturinhas de outro planeta, os Boov, mas tudo está sob controle, eles apenas vão colocar os humanos para uma área projetada com tudo o que eles precisam para sobreviver, por enquanto as criaturinhas ocupam e adequam as cidades que os humanos habitavam.

Simples se não fosse uma completa loucura, as pessoas foram raptadas e levadas para um local isolado e padronizado, diversas famílias se perderam, inclusive a de Tip, sua mãe foi levada para a nova cidade planejada e a menina foi esquecida em sua velha casa. Na tentativa de reencontrar sua mãe, Tip conhece Oh, um Boov que é menosprezado pelos os outros seres devido suas trapalhadas.

Unidos Oh vai ajudar Tip achar sua mãe, já Tip vai se tornar a melhor amiga de Oh e tentar ajuda-lo a desfazer o mal entendido que ele criou ao convidar o grande inimigo de seu povo para uma festa em sua casa. Nessa aventura intergalática os amigos vão passar por maus bocados na tentativa de não serem pegos pelo imperador Boov, afinal, ninguém quer os dois por perto.

A primeira lição da animação é o fato de as vezes fazermos as coisas de tal maneira pensando que estamos ajudando, mas na verdade só atrapalhamos, se colocar no lugar do outro e entender o que de fato aconteceu é o primeiro passo para achar uma solução que agrade ambos os lados. A comunicação é a solução para diversos problemas. A animação tem excesso de fofura, o jeitinho desengonçado dos Boov é de arrancar boas gargalhadas, o imperador é uma verdadeira figura. A história é bem tocante, a solidão está sempre presente nos diálogos e nos dilemas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário