quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

[Série] Bates Motel

 
Confesso que só comecei assistir Bates Motel, por causa do bombardeio de chamadas exibidas pela Universal, de cara ela não me chamou atenção, afinal parecia uma história passada em um hotel mal-assombrado com atores sem sal, mas depois que descobri que era a vida do assassino antes do filme Psicose, dei uma chance e fui ver o que de tão bom a série poderia ter, afinal a Universal apostava alto nela.

A história começa com a morte misteriosa do pai de Norman, o que tudo indica é que um armário grande e pesado tenha caído sobre ele, a morte foi instantânea devido o impacto, mas a verdade não é bem essa. Norma Bates (mãe de Norman, "se o filho pode ter o mesmo nome do pai, porque não da mãe?") resolve sair daquele lugar cheio de péssimas recordações e começar uma vida nova ao lado do filho em Oregon, lá eles compram um hotel falido e aos poucos tentam reerguer as finanças, porém existem mais pedras nesse caminho do que eles podem imaginar.


O hotel foi comprado através de um leilão do banco, porém os antigos donos não estão satisfeitos com a falência, vão fazer de tudo para afasta-los dali, nem que seja necessário providencias drásticas. Depois de uma série de assassinatos o Xerife Alex Romero começa a rondar Norma Bates, ele não sabe até onde ela é inocente nesses casos, mas une o útil ao agradável dando em cima da nova moradora.

Norman começa no novo colégio sendo obrigado a participar de práticas esportivas, é necessário que ele se relacione com o resto dos alunos. Bradley Martin é uma garota popular que chama a atenção do garoto, depois da trágica morte do pai dela eles começam um relacionamento estranho e de mão única. Emma Decody é esperta, tem fibrose cística e é apaixonada por Norman, é ela que vai ajuda-lo a desvendar o caso do tráfico sexual de garotas que acontecia na cidade, esse detalhe fará com que o Hotel Bates receba alguns hospedes inconvenientes.

Amor incondicional por esse fusca da Emma *.*
 
A série é bem pacata, a impressão que temos é que nada vai acontecer, apenas mais uma crise da mãe temperamental que protege o filho como uma leoa, tanto ele da sociedade, como a sociedade dele. Ou mais um esquecimento do garoto de 17 anos, que é tímido e tem o complexo de Édipo mal curado. Mas não é bem assim, temos que enxergar mais adiante para perceber que o drama de verdade acontece no psicológico.

A Norma Bates de louca não tem nada, ela só quer proteger seu filho que está dando os primeiros sinais de psicose, seus esquecimentos são constantes e em cada um uma vítima aparece, ou só uma perseguição acontece. Já na cabeça de Norman ele é guiado por sua mãe, é ela que orquestra tudo e até mesmo faz as coisas, mas é o que a mente dele diz. A relação de proteção de Norma Bates com Norman é tão louca, que muitas vezes parece que estamos na cabeça dele, e ela que é louca.
 
 
O ritmo da narrativa é bem devagar, porém o enredo é bastante denso, os personagens são lentos e inofensivos, e é assustador o olhar de Norman quando ele entra em crise. A série não causa "dependência", mas devido a lentidão dos fatos, acabamos assistindo um episódio atrás do outro para ver o que enfim acontece. No primeiro episódio Norman é obrigado a participar de corridas por sua professora, mas não existe uma única cena dele correndo, e as vezes que ele vai ao colégio são raras. Concluindo, a trama é boa porém podia ter um ritmo mais acelerado. 

bon après-midi , bonne chance

2 comentários:

  1. Norman, com certeza é um assassino muito querido rsrsrsrs
    E eu nem fazia idéia que essa série se tratava da vida dele gente, como assim? Eu via as vinhetas mas também não dei bola. Então...
    Muito obrigada pela dica Neyara *_______*
    Vou correr para ver.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
  2. Amo amo amo amo Bates Motel. Tô doida pela nova temporada! :)

    ResponderExcluir