domingo, 21 de dezembro de 2014

[Evento] XI Bienal Internacional do Livro do Ceará


No início do mês, entre os dias 6 e 14 de dezembro, aconteceu a XI Bienal Internacional do Livro do Ceará, evento que trouxe muita expectativa ao público, principalmente devido a incerteza se ele realmente aconteceria ou não. Depois de muitos boatos e bafafás a Bienal finalmente foi confirmado, a programação se resumia aos stands e apresentações relacionadas a literatura fantástica, cordel e literatura infantil, o público que buscava outra coisa ficou sem muitas opções e novidades.


Tivemos a participação de alguns autores de peso como a Paula PimentaThalita Rebouças, Raphael Draccon, Carolina Munhoz, entre outros, mas as atrações não conseguiram trazer nem metade do público que era esperado. A comunicação da Bienal foi bastante falha, alguns nomes passaram desapercebidos em uma programação que foi divulgada em cima da hora, fazendo com que as visitas escolares e outras manifestações ficassem inviáveis devido a falta de tempo.

Decepcionada com a programação, escolhi apenas dois dias para percorrer os stands. O primeiro foi dia 8, segunda-feira, encontrei uma Bienal vazia e com os livros sendo vendidos a preço de capa. Cartazes anunciando promoções estavam em todos os lados, mas quando íamos conferir o preço estava pela "metade do dobro". Alguns stands estavam vendendo livros por R$10,00, mas eram clássicos e livros desconhecidos. Outros stands vendiam revistas velhas, HQ's do Mickey e Cia, palavras cruzadas e almanaques esotéricos. Concluindo: Voltei para casa com milhares de encartes da Câmara dos Deputados, Senac, e 2 lançamentos da Editora Intelitera.

dia8

Depois de alguns boatos que ia ter uma verdadeira queima de estoque no último dia, resolvi arriscar e fui no domingo, dia 14, conferir as tais promoções. Os stands que estavam por R$10,00 colocaram alguns livros por R$5,00 e eu consegui encontrar itens interessantes, como o Nelson Rodrigues em HQ. Os stands de livros espiritas estavam distribuindo alguns romances e o evangelho. O stande da Novo Século estava com muitos descontos, de fato descontos. O stand do Senac estava com 50% de desconto, valia muito a pena adquirir alguns livros por lá. E os outros stands com os tais livros da moda continuavam tentando vende-los a preço de capa, ou até mais caros. Concluindo: No último dia consegui de fato encontrar bons livros com bons descontos, a variedade tinha aumentado e o público finalmente tinha crescido, mas já era o último dia.

dia2
dia3

No geral a Bienal foi bastante fraca, tentaram colocar a culpa nas eleições, mas todo ano de eleição tem Bienal, e nem por isso as outras fracassaram. Disseram que estava tudo sob controle e que ia ser a melhor Bienal já vista, na segunda-feira pós-bienal saiu uma matéria gigante no jornal relatando o fracasso que tinha sido. Era notável que a falta de planejamento existia, tudo foi confirmado e divulgado em cima da hora, tudo foi feito nas coxas, e o pior, o público percebia isso, as inúmeras desculpas usadas pela organização não justifica tamanha falta de preparo.

Devo dizer que a Bienal foi uma decepção, principalmente para quem acompanha esse mundo literário e sabe que Bienal não se resume a isso, que sai mais barato comprar livros na internet com frete absurdo do que nos stands com preços superfaturados, que o mundo dos leitores não é apenas o gênero da modinha, que a Bienal é um evento deveria tentar atrair novos leitores, e não afastar os poucos que já temos.

Tudo na vida tem seu lado positivo, então fiquei muito feliz em ver a Novo Século trazendo diversos autores para Fortaleza, fiquei feliz em ver diversos livros de amigos sendo mais procurados do água no deserto, fiquei muito feliz em ver alguns títulos esgotados. E pra finalizar, fiquei muito feliz que o sorvete que estava sendo vendido por lá estava com preço de tabela, e que estava ótimo.

Bienal até 2016! Espero que você surpreenda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário