quinta-feira, 24 de julho de 2014

[Dica do Coração] O Cachorro e o Calazar.

 

Outro dia assisti uma reportagem sobre uma mulher que matou um cachorro de rua enforcado porque ele estava com calazar, é tipo um parasita que fica morando no organismo do animal, fazendo com que ele tenha sangramento, inchaço nos órgãos abdominais, febre, entre outros sintomas que pode levar a morte.

O homem também pode ter calazar, mas não é transmitido diretamente através do animal, é necessário que o mosquito-palha infectado pique uma pessoa já debilitada. É uma doença grave que não tem cura, a maioria dos cães são sacrificados, pois o tratamento para amenizar os sintomas é muito caro, e na sua grande maioria os cães infectados são os que vivem em praias, matas ou na rua, sem dono.

Na reportagem a mulher dizia que ligou diversas vezes para o Centro de Zoonose, o órgão responsável por diagnosticar a doença, e recolher os animais infectados, mas ninguém apareceu, logo, ela decidiu sacrifica-lo sozinha. A doença é grave e tem que ser tratada o mais rápido possível, por isso tenha sempre guardado o contato da Zoonose de sua cidade, ou cuide do seu cãozinho para ele não ser infectado:

  Centro de Zoonose de Fortaleza:
Rua 25 de Março, 607 - Centro - (85) 3433.9701
- Exame e consulta: Todos os dias, das 7h30min às 11h30min e das 13 às 17 horas.

- Prazo para recolher o animal: 7 dias para os diagnósticos feitos na Zoonose, 20 dias para os diagnósticos feitos em outras clínicas.
- Lista completa dos postos de atendimento em Fortaleza - AQUI.

Formas de prevenção:
- Vacinar o animal após 4 meses de idade com a Leishmune, são 3 doses da vacina, com o intervalo de 21 dias para cada. A vacina é dada nos postos e nas campanhas de vacinação.
Fique atento!
- Mantenha a casa/apartamento/sítio/local limpo.
- Use repelentes com a orientação de um profissional.
- Use coleiras especiais.

Os cãezinhos e os humanos agradecem

2 comentários:

  1. Realmente infelizmente é uma doença muito grave e tem sim que ser notificada.
    Sou veterinária e agradeço e muito por não ter muitos casos dessa doença aqui onde moro...

    Bjus

    Taty

    ResponderExcluir
  2. Por aqui essa doença não é muito frequente, mas lembro que minha tia voltou de MG surtada quando a gente tinha filhotinhos em casa, ela morria de medo de perder os "bebês" (todos os 4 cães adultos dela, meus 2 cães adultos e os outros 6 filhotinhos).
    Devemos prevenir sempre.
    Bjuxxxxx

    ResponderExcluir