sábado, 8 de março de 2014

Um Feliz Dia, da Mulher Mais Feia do Mundo, ou Não.


No Dia Internacional da Mulher eu vou contar a história da Lizzie Velasquez, uma mulher que supera a cada dia uma sociedade recheada de padrões de beleza, cheia de preconceitos, e conceitos machistas. Espera! Não quero contar uma história triste, quero lembrar que todas as mulheres são únicas, e que todas essas mulheres tem capacidade para achar seu diferencial.

Lizzie Velasquez nasceu com uma doença rara, ela não consegue acumular gordura no corpo, nunca pesou mais que 30 kg, consequentemente, os médicos avisaram que ela poderia não andar, falar, ou fazer qualquer ação que é considerada simples para a maioria das pessoas. E pra completar, nasceu cega do olho direito, e com a visão embasada do esquerdo, mas ela superou suas dificuldades, conseguiu andar, falar e até se formou na faculdade.

Espera! A vida dela não foi fácil, quando estava no colégio foi humilhada pelos colegas sendo eleita a mulher mais feia do mundo, foi chamada de monstro e sofreu muito preconceito. Depois de chorar, sofrer e se descabelar, Lizzie pegou toda sua história de vida, sua bagagem emocional, e saiu dando lição de autoestima para as mulheres do mundo todo, além de seus dois livros falando sobre o tema "é bonito ser feio" (Batoré), Lizzie mantem um canal no Youtube de sucesso, e roda o mundo dando palestras.

O que foi que ela fez? Pegou o que o mundo apontava de fraco em sua vida, e virou o jogo, tomou conta das rédeas da sua vida e usou suas características a seu favor. No Dia Internacional da Mulher é esse convite que eu quero fazer a vocês, vamos pegar as rédeas das nossas vidas, descobrir nossos potenciais, e fazer a diferença.


Feliz Dia Internacional da Mulher

2 comentários:

  1. Eu já sabia da história dessa mulher, e acho triste todas as vezes que leio. Infelizmente vivemos em um sociedade com muitos preconceitos, mas tenho certeza que Lizzie já superou muitas coisas e vai continuar superando!
    http://exceptionss.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. sempre me comovo com a história dela, mas sempre achei uma guerreira e um exemplo. Fico feliz que ela não se deixou abater pelo preconceito de muitos...

    http://luoucuras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir