domingo, 26 de agosto de 2012

[Música] Feira da Música #3 - Volver

Nesse fim de semana acontece a Feira da Música 2012 realizado pela ProDisc e Universidade Fora do Eixo, concentrando sua programação principal no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura44 bandas irão se apresentar durante os dias 23, 24 e 25 de agosto, em diversos palcos. O melhor é que além de abranger vários gostos musicais, o evento é aberto ao público, ou seja totalmente de graça. Aproveitando, esse restinho de semana eu vou apresentar algumas bandas que eu gosto e que vão tocar no festival. Preparem os fones! o/


A banda recifense, Volver, tocou na noite desse sábado (25) no Palco Rock. com todo seu rock meio sessentista em quase 45 minutos de show, tocando hits como "Clarice, tão perto, tão certo e acima da chuva" do seu segundo cd, sem esquecer seus novos sucessos como "mallu, mangue beatle e a linda, leve e dolorida balada simplesmente" (a melhor do novo cd). Com riffs de guitarras, pianinhos, e uma puta interação banda/publico, a banda fez um show que eu como fã esperava ver, empolgando todos os que estavam presentes, desde os fãs até quem estava no local só pelo festival. A banda formada em 2003 por Bruno Souto (voz, guitarra e violão), Fernando Barreto (baixo e backing vocal) e Kleber Croccia (guitarra e backing vocal), é uma daquelas bandas que você demora a dar ouvidos e quando ouve não quer mais parar de escutar, Digo isso por experiência própria. rsrsrs! Enfim! Volver é daqueles shows que se tivesse toda semana por aqui, eu estaria lá, prestigiando e curtindo um dos melhores shows da minha vida. 

Simplesmente - Volver


Tão perto, tão certo - Volver


Mais informações:

Cartaz desenvolvido pelo Coletivo Monstra especialmente para a Feira da Música 2012

Até o próximo ano Feira da Música! o/

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

[Música] Feira da Música #2 - Uh lá lá!

Nesse fim de semana acontece a Feira da Música 2012 realizado pela ProDisc e Universidade Fora do Eixo, concentrando sua programação principal no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura44 bandas irão se apresentar durante os dias 23, 24 e 25 de agosto, em diversos palcos. O melhor é que além de abranger vários gostos musicais, o evento é aberto ao público, ou seja totalmente de graça. Aproveitando, esse restinho de semana eu vou apresentar algumas bandas que eu gosto e que vão tocar no festival. Preparem os fones! o/


Um visual anos 70 misturado com o desejo de falar uma língua universal, assim nasceu Uh La La, a banda faz o bom e velho som de garagem, reinventando timbres e sons, sem se preocupar em definir qual o seu estilo. A influência vem de muitos lados e épocas, mas o que chama atenção são as músicas divertidas e vibrantes. A banda é composta por Andreza, Babi, Ivan, Isabela e Eliza, o primeiro CD "Volume Dez" foi lançado em 2011. Os curitibanos vão se apresentar hoje no palco rock, super recomendo!

Remédio - Uh La La!


Hey Hey - Uh La La!


Mais Informações:
- MySpace: http://www.myspace.com/bandauhlala
Cartaz desenvolvido pelo Coletivo Monstra especialmente para a Feira da Música 2012 

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

[Música] Feira da Música #1 - Gloom

Nesse fim de semana acontece a Feira da Música 2012 realizado pela ProDisc e Universidade Fora do Eixo, concentrando sua programação principal no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura44 bandas irão se apresentar durante os dias 23, 24 e 25 de agosto, em diversos palcos. O melhor é que além de abranger vários gostos musicais, o evento é aberto ao público, ou seja totalmente de graça. Aproveitando, esse restinho de semana eu vou apresentar algumas bandas que eu gosto e que vai tocar no festival. Preparem os fones! o/


Apontados como uma das grandes promessas do rock goiano, a banda Gloom vem trabalhando o seu primeiro CD com melodias de ska-punk com pitadas de samba. A banda é composta por Niela (voz e guitarra), Goiaba (baixo e voz), Lucas Tomé (bateria), Yuri Guminiak (trompete) e Antônio Afonso (saxofone), os integrantes não escondem sua admiração por bandas que utilizam o sopro em seus arranjos, um exemplo é a banda Móveis Colonias de Acaju, do qual o vocalista, André Gonzales, faz uma participação especial em duas faixas nesse CD de estréia. Eles vão se apresentar no sábado, dia 25, quem puder aparecer, venha curtir uma boa música! ;D

Tic Tac - Gloom



Parafina - Gloom



Mais Informações:
- Toque no Brasil: http://gloom.tnb.art.br/
- Facebook: https://www.facebook.com/BandaGloom
- Twitter: https://twitter.com/bandagloom
- YouTube: http://www.youtube.com/bandagloom


Cartaz desenvolvido pelo Coletivo Monstra especialmente para a Feira da Música 2012

domingo, 19 de agosto de 2012

No Dia Mundial da Fotografia, eu...

quero mais é tirar a poeira da minha câmera fotográfica e colocar em prática uma das minhas paixões, fotografar. Um hobby que anda esquecido dentro da gaveta, esperando uma oportunidade, uma chance, ou até mesmo uma coragem pra sair por ai registrando novos olhares, novos ângulos do meu mundo, dos meus dias, da minha vida. Quem topa fazer um foto-passeio pela cidade? *.*

Oficina de Fotografia - Feira da Música de Fortaleza (CE)Oficina de Fotografia - Feira da Música de Fortaleza (CE)

As fotos são da minha participação na Oficina de Fotografia realizada pela Universidade Fora do Eixo na Feira da Música 2012 nessa terça (14). - Flickr do Fora do Eixo -

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

[Cinema] Jovens Adultos + Sob a Luz da Fama

Jovens Adultos é o tipo de filme que fala sobre a rainha dos tempos de colégio, que perde a sua majestade quando cresce. A garota popular que ganha o concurso do cabelo mais bonito do colégio, vira a depressiva escritora desconhecida de uma série que um dia foi um sucesso. A menina que saia com todos os jogadores do time de futebol, agora divorciada tenta reconquistar um antigo amor. A garota que saiu de sua cidade natal para conhecer a capital, volta pro seu interior pra buscar a felicidade.


Sob a Luz da Fama é ambientado em uma escola de balé, onde um grupo de jovens se dedica exaustivamente para conseguir seu local de destaque. Tudo tem que ser perfeito. A técnica impecável. A falta de disciplina é um insulto. A garota destaque não tem coração. A figurante não tem os pés. A corajosa não tem a disciplina. Aos poucos a perfeição vai sendo quebrada e tudo isso parece que não é tão importante assim. A garota troca o destaque pelo coração. Os pés da figurante ganha seu destaque. A falta de disciplina faz com que a corajosa ganhe seu tão merecido papel de protagonista.


Talvez esses filmes não falem nada disso, mas quando os créditos subiram foi a única coisa que eu consegui pensar, em como a vida as vezes pode ser engraçada, como a situação pode virar, sobre como funciona a roda-gigante da vida. O que um dia pode ser perfeito, no outro pode parecer a pior coisa do mundo, as vezes precisa só mudar a maneira que a gente olha, ou o que se prioriza, mas ta tudo ali esperando a gente vacilar, ou a gente parar de ter medo e enfrentar a vida, parar de reclamar e ser feliz.

Bonne nuit, bonne chance

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

[Entrevista] Fabiane Ribeiro - Escritora


Uma das grandes vantagens que a internet nos proporciona, é poder debater com alguns autores sobre as suas obras, sobre o que gostamos e detestamos no enredo, tirar dúvidas, dar a nossa opinião e poder conhecer um pouco mais sobre o processo editorial. Hoje eu trouxe para vocês, uma entrevista que eu fiz com a autora Fabiane Ribeiro, onde ela conta um pouquinho sobre seus trabalhos e sua vida. Desde já, quero agradecer muitíssimo o carinho da autora, que sempre foi muito gentil e atenciosa com o blog. Espero que gostem da entrevista! :)

A Capsula Entrevista: Fabiane Ribeiro

Fabiane Ribeiro
1 - Para iniciar, quem é Fabiane Ribeiro?
R.: Eu diria que sou alguém que acredita, acima de tudo, que cada um tem um caminho a trilhar, que o fará contribuir de alguma forma com o mundo, então, resumindo, tento passar algo de bom através de histórias e personagens. Sou médica veterinária e escritora, apaixonada pelos animais e pelas palavras.

2 - O que te levou a escrever "Xadrez"? Quanto tempo demorou? O que te inspirou para escrever a história de Anny?
R.: Eu sempre amei ler e escrever, mas confesso que nunca sonhei em ser escritora. Eu estava no quarto ano de faculdade de Medicina Veterinária, quando fiquei doente e parei os estudos por um tempinho. Nessa época, em meio a momentos difíceis, escrevi dois livros. Um deles é o romance “Jogando xadrez com os anjos”, minha primeira obra publicada. Desde então, a literatura passou a fazer parte da minha vida e dos meus sonhos. Eu tenho muita dificuldade pra determinar quando e como surge alguma ideia ou de onde vem a inspiração. Tudo vai surgindo aos poucos em minha mente e eu vou anotando, até o dia em que percebo que tenho material suficiente para um livro. Costumo dizer que minha inspiração é sempre a vida! Levei 7 meses para escrever o “Jogando xadrez com os anjos”.

Minha participação no Book Tour do livro "Xadrez" - Resenha AQUI

3 - Porque escolheu o tema Xadrez para ser utilizado como pano de fundo na história de Anny? Você sabe jogar xadrez? Gosta?
R.: Pra ser sincera, eu apenas jogo xadrez por diversão. Gosto do jogo, mas ele nunca foi tão frequente em minha vida. Quando anotei as primeiras ideias sobre o livro “Xadrez” o jogo me veio à mente. Então, pensei que ele seria o elo ideal que eu estava buscando para unir Anny e seus afetos e também Anny e seu passado. É isso o que ele representa na história. (Página do livro no Skoob - AQUI)




Obs: No inicio, o livro "Jogando xadrez com os anjos" se chamava "Xadrez", o nome foi modificado devido a repaginada que o livro recebeu da editora Universo dos Livros.

4 - Fale um pouquinho sobre o seu livro "Corações em Fase Terminal"? Quanto tempo demorou para escrevê-lo?
R.: O “Corações em Fase Terminal” conta a trajetória de Cátia, uma dependente química que, após quase acabar com a própria vida, acorda em uma nova realidade, com o coração preso e manchado em uma caixa, e uma imagem real de si própria presa a um espelho repugnante. Sua missão passa a ser cuidar de seu coração, assim como todos naquele estranho lugar. Esse livro foi um desafio que lancei a mim mesma, de escrever um livro em uma semana! (Página do livro no Skoob - AQUI)

5 - Fale um pouquinho sobre o seu novo livro "A gente ama, a gente sonha"? Quanto tempo demorou para escrevê-lo?

R.: Uma narrativa futurista, em que a população vê-se cercada de poluição, máquinas e redomas. Por um lado, as classes nobres conseguem proteger-se do céu alaranjado. Em contraposição, aqueles que preenchem as classes média e baixa estão à mercê do Maquinário (governo moderno) e de graves problemas respiratórios. Religião é algo extinto, assim como os sentimentos; árvores frondosas e diversas espécies da fauna são encontradas apenas nos museus naturais. E o que dizer dos sonhos? São controlados por máquinas, assim como tudo mais na sociedade.

Nesse cenário, Vanessa, ou melhor, Nenê, encontra uma carta esperançosa de alguém que previa a destruição do seu mundo, mas que acreditava na cura do mesmo. Uma carta escrita há muitos séculos... No ano de 2012. A carta convida-a a repensar suas atitudes e as de seus semelhantes, ao mesmo tempo em que a leva a conhecer um novo mundo: Nenê, pela primeira vez, sonha sem programar a Máquina de Sonhos e, assim, acaba conhecendo um rapaz misterioso durante seu sono. Sem saber seu nome, ou sem ver sua face, Vanessa sabe que o ama e que deve fazer de tudo para encontrá-lo e, assim, resgatar valores perdidos pela humanidade. Em sua trajetória, ela tem que aprender a lidar com assuntos há muito tempo banalizados, como família, morte e amor. Um livro sobre robôs, sonhos, romance e, sobretudo, sobre a reinvenção do ser humano.

Não sei o tempo exato que levei para escrevê-lo, pois tive que dar um intervalo durante a escrita, e também porque o alternei com outros projetos. (Página do livro no Skoob - AQUI)


6 - Como foi o processo de publicação dos livros? O que foi mais complicado? Facilitou o processo de publicação/divulgação quando você assinou contrato com a editora Universo dos Livros?
R.: Foi difícil. Eu demorei pra conseguir uma editora e era muito inexperiente sobre o mercado literário. Publiquei primeiramente com uma editora pequena e, quando o livro caiu no gosto dos leitores, consegui contrato com uma nova e grande editora (Universo dos Livros), que está reeditando neste momento o “Jogando xadrez com os anjos”, com certeza estou em uma fase melhor agora com essa nova editora. A parte mais complicada é atrair os leitores e conquistar um espaço no mercado.

7 - Quais os seus próximos projetos?

R.: Tenho quase trinta livros esboçados. No momento, estou prestes a lançar meu terceiro romance, “A gente ama, a gente sonha”. Ele está em revisão. Estarei na Bienal de SP, no estande da Universo dos Livros (Rua G, número 70) autografando o “Jogando xadrez com os anjos” dias 12 e 17 de agosto de 2012, das 11 horas ao meio-dia. Espero vocês lá!

Confirme sua participação pela página do evento no Facebook - AQUI
8 - Como você vê o mercado literário atual? Você acha que a internet está ajudando na formação/divulgação de novos leitores e autores?
R.: No Brasil, há grandes barreiras para se tornar um escritor. Encontrar uma editora, sem dúvidas, é a primeira. Mas, o mais difícil é a inserção no mercado e a aceitação por parte do público. Como em qualquer profissão ou em qualquer sonho, é necessário ter muita força de vontade e ser apaixonado pela profissão! O mercado atual está mudando, mas não deixa de ser um grande desafio para os escritores. A internet é uma ferramenta maravilhosa para compartilhar a paixão por livros e para fazer amigos que também nutrem essa paixão! Eu adoro dedicar tempo ao meu blog e visitar outros quando posso. Sem contar que o apoio que os blogueiros dão aos autores iniciantes tem feito toda diferença para a aceitação do nosso trabalho.

9 - Um recado para quem tem o sonho de ser escritor.
R.: Citando meu próprio livro “Jogando xadrez com os anjos”: “Não há idade para sonhar e, muito menos, para buscar sonhos antigos. Os sonhos nunca morrem”.
Agradeço o carinho, a oportunidade e o espaço para divulgar meu trabalho no blog!

Mais Informações:
- Twitter: @fabiribeirovet

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Aponta pra fé e rema.


Depois de 4 longos anos com a bola rolando, e mais 1 ano de prorrogação, eu estou aqui de cara pro gol esperando o juiz autorizar essa cobrança de pênalti. Último semestre na faculdade começando e é assim que eu me sinto, de cara pro gol, com um medo horrível de fazer a coisa errada. Não só de perder um gol, mas descobrir que eu joguei o tempo todo no time errado. Mais um semestre, o último semestre, e eu aqui louca atrás daquela confiança de ter escolhido o curso certo... Vamos que vamos!

E seja o que Deus quiser, e que assim seja!